Browse By

Jornalista do Estadão diz que Bolsonaro faz culto à morte

Jornalista do Estadão diz que Bolsonaro faz culto à morte.

O jornalista do Estadão, José Nêumanne Pinto, através de suas redes sociais se manifestou sobre a demissão do Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, que antes de ser demitido, era odiado pela esquerda, mas agora que saiu, acabou sendo aclamado.

Em suas palavras cheia de ódio e intelerância, o jornalista afirmou através de suas redes sociais oficiais, com quase 400 mil seguidores, disse:

“Bolsonaro demitiu Mandetta por ciúme, inveja e cálculo eleitoral e não foi divórcio consensual coisa nenhuma, mas meras ignorância, irresponsabilidade, desumanidade e culto à morte, por fazê-lo em pleno pico da pandemia.”

Além disso, começou a xingar mais de 57 milhões de brasileiros que votaram no Bolsonaro, falando que são totalmente ignorantes, que acreditam que o planeta Terra é plano, que vacinas matam, que não acreditam na ciência e ainda disse que a economia do Brasil não estava avançando antes da pandemia do coronavírus, mesmo que todos os economistas que são especialistas, estavam dizendo o contrário.

Os comentários foram feitos no canal oficial do jornalista no Youtube, de maneira totalmente desrespeitosa com autoritarismo e truculência contra os que respeitam a democracia, pelo José Nêumanne Pinto, que é totalmente contra a democracia brasileira atual e não entende que Bolsonaro ganhou as eleições em 2018, fantasiando com Lula na presidência novamente, para desviar R$ 240 bilhões da saúde, como fez em seu governo, e mesmo assim recebe o apoio do jornalista.

Segue abaixo o vídeo do jornalista extremamente descontrolado:

Jornalista do Estadão diz que Bolsonaro faz culto à morte

Conheça os Melhores Cartões em Cartões Caixa

Volte à Pagina Inicial do Nosso Site Para Ver as Notícias do Dia!

Entretanto… No entanto… De acordo com o… Ainda de acordo com… Mesmo que… Por outro Lado… Além disso… Mesmo porque… Aliás… Afinal… Ademais… Anteriormente… Assim… contudo… Embora… Enquanto… Então… Entretanto… Outrossim… Pois… Por enquanto… Por enquanto…