Guedes volta à Câmara na comissão especial da Previdência e governistas tentam blindá-lo




 

Nesta quarta-feira (8), o ministro da Economia Paulo Guedes volta à Câmara na comissão especial da Previdência e governistas tentam blindá-lo contra ataques da oposição.

A bancada do PSL tem se desdobrado para tentar proteger Guedes de se tornar mais uma vez alvo dos ataques da oposição, como em sua última ida à Câmara dos Deputados, quando participou de mais de 6 horas de audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e foi insultado e ofendido.

Deputados do PSL planejam ocupar as primeiras fileiras no Plenário e se organizam para serem os primeiros na lista para o debate. A sessão deve ter inicio somente a tarde. O plano é tentar “monopolizar” o início do debate e assim evitar a impressão de ter mais opositores que apoiadores da PEC da Previdência.

Os parlamentares governistas, acreditam estarem mais preparados desta vez e não querem repetir os mesmo erros da última vez, em que o deputado e filho de José Dirceu, Zeca Dirceu (PT-PR) provocou o ministro Guedes, que acabou perdendo a paciência e se descontrolou.

Zeca Dirceu, na ocasião acusou o ministro de ser “tigrão” com os aposentados e “tchutchuca” com os mais ricos e privilegiados do país. A líder de Bolsonaro no Congresso, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) disse que Guedes está “blindadíssimo” com uma turma ao redor dele.

O presidente da CCJ, o deputado Felipe Francischini (PSL-PR) afirmou que a bancada está organizada e “Não permitiremos bravatas”. O coordenado da bancada do PSL na Comissão Especial, o deputado Alexandre Frota (PSL-SP), chegou até mesmo a pedir para que os deputados não xinguem Paulo Guedes e disse que “Guedes é muito bem preparado. O que ele precisa é tranquilidade”.

Anuncie Sua Marca Aqui

Visite Nosso Canal “WOL Notícias – World OnLine” No Youtube




Associação pede ao STF fim dos transportes coletivos de passageiros por meio de aplicativo
Presidente Bolsonaro vai analisar horário de verão
Eduardo Bolsonaro denuncia agressões durante ato contra a ditadura
Bolsonaro visita muro das lamentações em Jerusalém
Recurso de Lula será analisado pelo STJ
Alerj pedirá investigação sobre atuação de snipers no Rio de Janeiro
Ministro Barroso diz que ‘a sociedade deixou de aceitar o inaceitável’
Maduro anuncia racionamento de eletricidade na Venezuela
Deixe Seu Comentário