Browse By

Renato Duque quer novo interrogatório para ‘detalhar delitos’




 

O ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, quer novo interrogatório para ‘detalhar delitos’. Duque está preso desde março de 2015, e foi condenado em oito ações penais da Lava Jato.

O juiz federal Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, autorizou um novo depoimento de Renato Duque. Ele marcou para o dia 2 de setembro o depoimento do ex-diretor da Petrobras na ação referente a uma lavagem de dinheiro de propina de R$ 2,3 milhões em contratos de estatal e que supostamente foi direcionada a pedido do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto para a Editora Gráfica Atitude, de São Paulo.

Bonat afirmou que “tendo em vista que agora pretende exercer sua autodefesa, não há como obstar o seu requerimento para o novo interrogatório”.




“Refiro o requerido e designo a data e 02 de setembro do corrente ano para o novo interrogatório de Renato de Souza Duque, perante este juízo” determinou.

De acordo com defensores, o ex-diretor já contribui em 5 ações penais da Lava Jato. “Deseja ser interrogado por esse juízo, a fim de cooperar na elucidação dos fatos criminosos dos quais participou ou possui conhecimento, detalhando com exatidão todos os meandros dos delitos” afirmou a defesa.

“Acredita-se que a colaboração espontânea de Renato Duque pode ser útil na elucidação dos aspectos ilícitos que não foram integralmente revelados nos presentes autos e que servirão para esclarecer o papel de cada um dos denunciados na trama criminosa.

Anuncie Sua Marca Aqui

Visite Nosso Canal “WOL Notícias – World OnLine” No Youtube




Associação pede ao STF fim dos transportes coletivos de passageiros por meio de aplicativo
Presidente Bolsonaro vai analisar horário de verão
Eduardo Bolsonaro denuncia agressões durante ato contra a ditadura
Bolsonaro visita muro das lamentações em Jerusalém
Recurso de Lula será analisado pelo STJ
Alerj pedirá investigação sobre atuação de snipers no Rio de Janeiro
Ministro Barroso diz que ‘a sociedade deixou de aceitar o inaceitável’
Maduro anuncia racionamento de eletricidade na Venezuela